A Constelação Familiar

Constelação Familiar, também chamada de Constelação Sistêmica é uma nova abordagem da Psicoterapia Sistêmica Fenomenológica criada e desenvolvida pelo alemão Bert Hellinger após anos de pesquisas com famílias, empresas e organizações em várias partes do mundo, buscando o diagnóstico e solução de problemas e conflitos. O resultado desses experimentos se transformou em um trabalho simples, direto e profundo que se baseia em um conjunto. Nascido na Alemanha em 1925, Helliger formou-se em Filosofia, Teologia e Pedagogia. Como sacerdote católico viveu e trabalhou durante 16 anos como missionário na África do Sul, junto a comunidade dos Zulus. Após deixar a ordem religiosa, dedicou-se a uma formação terapêutica diversificada que abrange desde a psicanálise até a terapia familiar, incluindo a terapia primal, a terapia da gestalt, a análise transacional e a hipnoterapia. Sua contribuição mais original é o seu modelo de Constelações Familiares, baseado numa visão integral e profunda da realidade humana. A partir das constelações familiares, ampliou seu método de trabalho para outros sistemas, assim como as constelações empresariais, constelações organizacionais, constelações educacionais,os conflitos étnicos, etc. O conjunto de todos os tipos de constelações advindas do modelo criado por Bert, passou a ser chamado de Constelações Sistêmicas. Esta terapia impressiona por sua ação no nível anímico, isto é, na cura da alma, e por sua dinâmica extraordinária, em que agentes “representam” personagens familiares, “representam” profissões, “representam” empresas, “representam” imóveis, “representam” sintomas e doenças, e assim por diante. Isto ocorre porque forma-se um campo quântico no qual a telepatia atua como resultado da interconexão entre os níveis energéticos das mentes humanas. Atualmente é uma das terapias que mais mobilizam pessoas em todo o mundo.  Bert Hellinger é um terapeuta internacionalmente conhecido, trabalhando em diversos países. Seus livros, vários deles retratando workshops centrados em vários temas – relacionamentos, pessoas com câncer, etc. – são best-sellers e impactam àqueles que os lêem.

O Sistema Familiar

A história de nossa família nos pertence. Estamos a ela vinculados, ela é uma parte de nós e marca a nossa personalidade, com todas as forças e fraquezas que temos. A Constelação visa, de forma prática e vivencial, dissolver antigos padrões familiares (conflitos e doenças que se repetem) que de alguma forma impedem o livre fluxo de amor entre os membros de um sistema. Ela atua de forma direta nas questões do sistema familiar, abrindo espaço para uma nova compreensão e cura desses padrões. A solução torna-se possível quando a ordem básica sistêmica é restabelecida, os familiares excluídos voltam a ser respeitados e aceitamos a nossa herança familiar.

Como a Constelação Familiar mostra algo?

Através de um desenho vivo, energético e sensorial de sua Constelação Familiar pode-se, passo a passo, dissolver os emaranhamentos familiares inconscientes e chegar-se, assim, a uma solução nova e libertadora. Bert Hellinger acrescenta que mais de 50% dos nossos problemas são de origem sistêmica. Esse trabalho é, então, uma oportunidade de descobrirmos de que forma continuamos enredados dentro do sistema familiar e que papéis assumimos inconscientemente. Somente encontrando o verdadeiro papel que nos cabe dentro da família, podemos nos sentir livres e resgatar nossa vida com dignidade e totalidade.

Fortalecendo nossas raízes

Nossa família nos fortalece e nos apoia quando conhecemos e nos rendemos às leis ou ordens que regem nosso sistema familiar. Ela nos enfraquece quando essas mesmas ordens são desconhecidas ou desrespeitadas, gerando toda sorte de emaranhamentos ou desequilíbrios familiares. Fazer a sua Constelação Familiar significa trazer força e equilíbrio para você e para todo o seu sistema familiar.

Em quais problemas a Constelação Familiar pode ajudar?

Constelação Familiar pode ajudar em todos os problemas de origem sistêmica. Então, desde problemas de relacionamento de casal, com filhos, todos os tipos de vícios, problemas emocionais, dificuldades diversas, até problemas de saúde física podem ser compreendidos, amenizados e muitas vezes solucionados com a ajuda da Constelação Familiar e com a disponibilidade do cliente realizar mudanças em sua vida prática, a partir das novas informações a que teve acesso na Constelação.

As Ordens do Amor

Este é um convite para trilharmos juntos um caminho de amor e compreensão para dentro das complexidades do nosso sistema familiar. Conhecer as “ordens do amor” é uma meta essencial para evitarmos muitas crises e enfermidades que vivemos em virtude do desconhecimento das leis naturais que regem os nossos sistemas familiares e sociais.

Seis importantes ordens e princípios

  1. Cada membro de uma família pertence a ela igualmente. Cada família tem um vínculo interno muito forte, a despeito do quão desunida ela pareça quando olhamos de fora. Todos os membros de uma família merecem atenção. Se alguém é expulso, ele será representado por um membro que nascer mais tarde, o qual irá impor a si mesmo um destino similar.
  2. A morte precoce de um membro da família tem um forte efeito sobre todo o sistema. Uma inclinação para morrer advém nos irmãos do morto, devido a suas conexões com ele. Isto é expresso através da frase “Eu seguirei você”. Se alguém carrega algo assim e mais tarde tem filhos, estes percebem isto e tentam aliviar os pais. Isto é expresso pela frase “Melhor eu do que você”. Esta inclinação para a morte se mostra através da doença e de comportamentos perigosos (esportes radicais, uso de drogas, etc).
  3. Crianças tomam sentimentos de outros membros da família. Isto ocorre de dois modos: ou elas compartilham fortes sentimentos de outros membros da família ( elas ajudam a carregar estes sentimentos por assim dizer ), ou elas tomam para si sentimentos não expressos. Por exemplo, uma avó submissa é abusada fisicamente por seu marido. Ela tem então uma neta que por sua vez fica enraivecida com seu marido por nenhuma razão aparente. Na constelação familiar torna-se claro que a neta carrega a raiva de sua avó.
  4. As crianças são leais aos seus pais (pai e mãe). As crianças quase sempre lidam com seu próprio destino de modo a impedir que elas mesmas tenham um destino melhor que o de seus pais. Devido a esta lealdade elas tendem a repetir o destino destes pais e seus infortúnios.
  5. Há uma ordem na família que precisa ser respeitada. A pessoa que vem primeiro, seja um irmão ou um parceiro, toma o primeiro lugar. Os outros seguem esta ordem cronológica. Estes lugares precisam ser respeitados sem julgamento ou valorização, apenas percebidos como são.
  6. Há uma organização espacial básica que é preferível. Há uma ordem básica na qual todos os membros de uma família se sentem bem, desde que se garanta que todas as conexões negativas tenham sido resolvidas. Nesta ordem os pais ficam à frente de seus filhos com o pai ficando no primeiro lugar e a mãe seguindo no sentido horário a ele (quando olhamos de cima). As crianças devem ficar olhando seus pais seguindo o sentido horário de acordo com sua ordem cronológica do mais velho para o mais novo.

Terapeuta Djúlia A. Rodrigues

Publicado por irmandadedolotus

Ainda não quero falar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: