O silêncio

Em conjunto com o texto sobre o vazio, devemos também colocar o entendimento sobre o significado do “silêncio”. Silêncio quer dizer: “estado de quem por vontade própria ou obrigado, se cala ou se abstém de falar, de publicar, de escrever, de pronunciar qualquer palavra ou som, de manifestar os próprios pensamentos etc”. Muitas pessoas colocam o silêncio como sendo o centro da compreensão humana ou o ponto de equilíbrio do ser. Muitos propagam que o grande estado de iluminação se vive no silêncio e no vazio de pensamentos, sentimentos e emoções. Um estado inabalável do ser.

Mas, como podemos entender o vazio e o silêncio como o grande estado de transcendência humana, se a dança, a música e as artes, por exemplo, são expressões tão lindas, que nos trazem bem estar e conhecimento e que vão totalmente no sentido oposto do silêncio e do vazio? A resposta está em “não podemos”, porque o silêncio é apenas um momento necessário em nossa vida para acalmar a mente, reequilibrar a energia e refletir sobre nossa vida, mas, o movimento e a expressão através da fala também são. Então, a chave é entender a importância e o momento precioso que o silêncio nos traz para refletir e nos equilibrar, mas entender que ao caminhar, ao falar, ao nos expressar, nós também podemos encontrar equilíbrio. Então, uma coisa soma a outra. Nós somos seres de expressão, de comunicação e não há como pararmos de nos comunicar para sempre, mas podemos e devemos parar por alguns momentos.

Um gato não medita, um cachorro não medita, porque eles são integrados em si. Nós por termos mais intelectualidade é que criamos diversos problemas em nossa vida e por isso precisamos da ferramenta da meditação para nos equilibrar. Mas, a meditação pode ser feita de diversas formas, inclusive ao caminhar, como bem ensinado pelo mestre budista Thich Nhat Hanh. Aliás, foi de uma monja do mosteiro do mestre Thich Nhat Hanh no documentário “Caminhe comigo” que ouvi a melhor resposta sobre o silêncio. Quando perguntada sobre a relação do silêncio e dos mantras (son) ela respondeu que: “Silêncio não é sobre não propagar sons, mas sobre não propagar ruídos”. Ou seja, silenciar a mente é apenas uma parte do processo, não para eliminar os pensamentos, falas e expressões, porque isso é impossível, mas para controlar o turbilhão dos pensamentos e por consequência, com calma, analisar a vida de forma correta, parar de criar tantos problemas, parar de propagar “ruídos”, ou seja, parar de falar desnecessariamente.

Thai monk meditation at temple in Ayutthaya, Thailand

Silenciar a mente é na verdade acalmar a mente, para uma vida mais saudável. Pratique meditação pelo menos por 5 minutos em seu dia a dia e você sentirá os efeitos benéficos que ela lhe trará. Por outro lado, cante mantras e músicas espirituais e da mesma forma você sentirá a própria vibração do seu corpo sutilizar com o tempo, porque estando o espírito em paz, o corpo também entra em equilíbrio e paz. As formas de se trabalhar são técnicas diferentes, mas são complementares e trazem uma vida muito melhor a quem delas se utiliza.

Publicado por irmandadedolotus

Ainda não quero falar

Um comentário em “O silêncio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: